Entrevista #11 - J. C. Gray

4 Aug 2018

Apresente-se, fale um pouco de você, seu nome, idade, profissão e gênero que escreve.

 

Sou Juliana, mais conhecida como J. C. Gray, tenho 31 anos, e atualmente estou me dedicando quase que integralmente à escrita, o que tem me ajudado a lidar inclusive contra crises de ansiedade e pânico. Escrevo fantasia urbana puxada para dark fantasy.
 

Quando surgiu o interesse pela escrita?

 

Eu gosto de leitura desde que aprendi a ler, acredito que o interesse por escrever veio pela paixão pela literatura, somada ao meu contato com o RPG. Quando criamos um personagem e participamos de histórias narradas, com o tempo, acabamos adquirindo a vontade de querer contar nossas próprias histórias também. Com 14 anos eu já tinha algumas histórias em cadernos, que hoje em dia estou aprimorando.

 

Quais foram suas maiores referencias para a escrita?

 

Eu cresci lendo fantasia, especialmente Alta Fantasia com C.S. Lewis e J.R.R. Tolkien, mas o que me deslanchou mesmo foi Anne Rice e J. K. Rowling. Depois cheguei nos meus autores favoritos, Neil Gaiman, Stephen King, e no brasil André Vianco, e Eduardo Spohr. Também não posso negar que tenho muita referencia vinda de RPG, especialmente do sistema de Mundo das Trevas.


Fale sobre o gênero que escreve.

 

Gosto da fantasia urbana por nos tirar do patamar da necessidade de criar um mundo fantástico completamente novo, jogando o sobrenatural no mundo em que vivemos, ambientando onde quisermos. Muita gente inclusive gosta de fantasia urbana e não necessariamente gosta da alta fantasia. Eu amo poder brincar com o sobrenatural no meio dos humanos, especialmente lidando com a descoberta do desconhecido.

 

Conte sobre sua carreira de escritora.

 

Acho que posso dizer que minha carreira está começando agora, engatinhando em passinhos pequenos, mas está indo até melhor do que eu imaginava. Escrevo desde os meus 14 anos, mas só agora eu estou me sentindo preparada para escrever material realmente interessante, e tenho tido um retorno satisfatório no livro que venho postando no Wattpad.


Você tem apoio para escrever?

 

Meu principal apoio vem dos amigos. Não que minha família não me apoie, muito pelo contrário, mas ainda sinto que da parte da família ainda estão esperando que eu desista e busque uma carreira profissional comum.


Nos conte um pouco sobre suas obras: quantas você já publicou? Há alguma em andamento?

 

No momento venho publicando uma fantasia urbana chamada Inimigos Mortais no wattpad, que é postada uma vez por semana.


Conte sobre como é o mercado para um autor atualmente?

 

O mercado hoje em dia dá mais opções para o autor iniciante, com opções como a Amazon para auto-publicação, mas é preciso já ter um publico bom e um material melhor ainda para ser abraçado por uma editora em publicações tradicionais. Em ambos os casos precisamos trabalhar muito com divulgação, pelo menos com as facilidades da internet e redes sociais se tornou mais facil se tornou mais fácil.


Fale sobre sua obra atual:

  • Como foi que surgiu a ideia de escrevê-la?

Inimigos Mortais é um prequel de uma sequencia de livros que trabalharei em seguida. A ideia de escrevê-lo, veio porque eu precisava mostrar ao leitor como meus protagonistas já se conheciam antes de tudo começar, porque sabia que essa pergunta chegaria. Aproveitei para deixar o livro disponível de forma acessível gratuitamente para começar a criar público.

  • O processo de criação foi difícil?

Na verdade depois de ter tudo pronto a frente, criar o passado foi como montar um quebra-cabeças de 100 peças bem fácil. Só precisei organizar o planejamento e escrever.

  • Quanto tempo levou para conclui-la?

Ainda estou trabalhando nela, mas acredito que eu a esteja concluindo em breve, de preferencia antes da Bienal de São Paulo.

  • Quais as inspirações e referencias para criar sua obra?

Minha principal inspiração foi RPG, meus personagens que, apesar de já estarem desvencilhados do sistema do Mundo das Trevas, ainda tem muito dele, porque eram personagens que eu realmente usava para jogar. Como o livro tem uma pegada um pouco policial, também tenho referencias de seriados policiais como Law & Order, Criminal Minds, entre outros.


Vamos ao ping pong:


Livro: O Retrato de Dorian Gray

Autor(a): Neil Gaiman

Inspiração: Gosto de viajar pra me inspirar

Incentivador(a): Meus amigos

Sonho: Ter leitores cativos para os meus livros!

Memória: A dança das águas do Bellagio em Las Vegas

Defeito: Preguiça

Qualidade: Estudiosa

Não gosta: De barulho excessivo

Amor: Gatos e Doces <3

Indicação: Trilogia do Vencedor – Marie Rutkowsky

Frase: “A genialidade é 1% inspiração e 99% transpiração” – Thomas Edison

Muito obrigada pela sua participação, desejo muito sucesso e muita sorte nessa profissão que faz tanto bem e agrega tanto conhecimento através das histórias. Para encerrar poderia deixar uma dica para os Jovens Talentos, os escritores que ainda estão começando suas trajetórias como futuros autores nacionais?

 

Organização e planejamento são a chave para não abandonar seu livro pela metade. Se você começa a escrever tendo tudo organizado as chances de se perder na sua história ficam muito menores, e evitam furos! E principalmente, nunca desista, o caminho é duro e árduo, mas é a persistência que te leva ao sucesso.

 

Conhecendo mais da autora J.C. Gray
 

Biografia

 

Me chamo Juliana Carvalho, e atualmente estou me dedicando apenas a escrever, além de ser colaboradora resenhista no site MediaGeek.com.br. Minha primeira faculdade foi Letras, acreditando que fosse me trazer base para um futuro como autora, mas mudei de curso ao ver que o foco seria me formar para ser professora. 
Escolhi como meu pseudônimo J.C.Gray, sendo o Gray remetendo à Dorian Gray, personagem que eu tenho um amor literário muito grande, li “O Retrato de Dorian Gray” pela primeira vez aos 15 anos, e já o reli algumas vezes com diferentes idades, e cada vez gosto e entendo mais sobre o enredo e o personagem. 
Costumo dizer que eu era a criança diferente que realmente gostava de ler. Criei gosto pela leitura com minha mãe lendo para mim. Com 7 anos e ajuda de minha mãe li “As Crônicas de Nárnia” ainda em volumes separados, daí surgiu meu amor pela fantasia, meu gênero favorito de leitura e escrita, embora prefira escrever Fantasia Urbana.
Me manter lendo é uma das melhores formas de tenho de aprimorar a minha própria escrita. Eu procuro sempre estar lendo algum livro, mesmo que sejam alguns capítulos a noite antes de dormir. 
Tenho ideias para escrever livros desde meus 14 anos, algumas comecei a escrever, mas nunca publiquei, e hoje em dia vejo que posso melhorar ainda mais essas ideias. Como seu eu estivesse cozinhando essas ideias em banho-maria até ter aprimorado o suficiente para que eu veja uma boa história. Eu sou muito crítica com o que escrevo. Costumo parar, ver meus títulos e estórias e pergunto a mim mesma: “Eu compraria esse livro se o visse numa livraria?”. 
Sou extremamente curiosa e gosto de pesquisar sobre tudo que coloco em meus livros, sejam lugares ou detalhes, acredito que dão maior veracidade à obra que estiver escrevendo.
Aprendi a amar contar histórias jogando RPG, a criação de personagens virou uma paixão tão grande que eu precisava de mais do que só o jogo em si, assim surgiram passados, futuros, e muitas, muitas histórias e personagens que hoje aos poucos estou passando para o papel. Mas lá atrás nessa época, nem se sonhava em achar publicação de autor brasileiro no gênero, era um sonho, mas parecia um sonho impossível. Foi quando um dia em uma livraria eu me deparei com “Os Sete” do André Vianco, um livro, de vampiros, escrito por um brasileiro e que se passava no Brasil, foi nesse momento muitos anos atrás que eu descobri que era possível.

 

Bibliografia

 

 

Ficha técnica:

Nome do livro: INIMIGOS MORTAIS

Autor: J.C.Gray

Numero de páginas: Em andamento

Editora: Publicação independente em plataforma digital

Ano publicação: 2018

Sinopse:
Los Angeles pode ser a Cidade dos Anjos, mas seu submundo está longe de ser angelical.

Quando uma nova droga começa a fazer sucesso nas noites de LA, diversos corpos são encontrados nos becos da downtown.

Longe das manchetes de jornal, lobisomens da área estão desaparecendo sem deixar vestígios, e Shay se vê com a importante missão de descobrir o que está acontecendo.

Enquanto as noites ilícitas tomam forma entre rachas, festas, sexo, drogas e rock'n'roll, inimigos mortais estão em guerra muito mais perto do que humanos possam imaginar.

Nome do Livro: Antologia Daemonum Sigillum – As Crônicas da Goécia Volume 1

Autor: Diversos

Organização: Raul Dias

Sinopse: Desejos e segredos, preces e sigilos. Dizem as más línguas que o Diabo tem muitos servos. Todavia, nenhum deles é tão perigoso quanto as potestades mais ocultas e antigas com seus sortilégios. Vendedores de sonhos, realizadores de falsos milagres, corruptores de almas... A Legião Goética, composta dos 72 demônios mais maquiavélicos da humanidade, ainda se esconde nas sombras.

Aqueles que os evocam têm suas recompensas; os desejos mais profundos do coração mortal e a sabedoria mais vasta que a psique humana pode explicar.

Rei Salomão, o monarca mais antigo, filho de Davi, sabia dessas verdades. Através dele, todos os mistérios mais secretos da vida e da morte se revelaram nas folhas do pergaminho vivo. Assim surgiram os sigilos, a arte da evocação e os mistérios mais infernais do profundo abismo.

Após tantos séculos, a arte Antiga da Babilônia percorreu o mundo, e, com ela, histórias infindas são contadas. Histórias que hoje ganham um nome em meio a tantos rostos distorcidos e demoníacos: Os Sigilos da Goécia.

É hora de selar o pacto, os demônios guardam muitas histórias. Deixo-os contá-las.

Links para compra dos livros físicos:

http://www.editorahope.com/prevenda

Links das plataformas digitais que publica:

https://www.wattpad.com/user/JC-Gray
https://www.cyberseries.com.br (em novembro)

 

 


 

 

 


Redes sociais:

Facebook: http://www.facebook.com/jcgraybooks

Instagram: @j.c.gray

Twitter: @jcgraybooks

Wattpad: @JC-Gray

Contato do autora: jcgray@outlook.com.br

 

 

 

 

 

 

Entrevista realizada por Isa Miranda
Revisão Fabiana Prieto

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque