O 18º Andar, de Marcos Fábio, com vista para O Cortiço, de Aluísio Azevedo

24 May 2018

Título: O 18º Andar

Autor:  Marcos Fábio
Editora: Catarse

Gênero: Novela
Ano de lançamento: 2017

Atual edição: 1ª

Páginas: 72

 

Sinopse oficial

Um acidente de moto. E duas pessoas se ligam, de forma intensa e duradoura. Uma amizade que se transforma em amor. Um amor que se transforma em companheirismo. Um companheirismo que se transforma em afastamento, em rompimento, em desamor. Como muitas outras histórias que vemos e lemos, esta é a história de Caio e Laís. 
 

Ela é estudante de Arquitetura. Ele é motoboy. Ela mora num edifício, no décimo oitavo andar, onde tudo vai acontecer. O quê? Tudo. Tudo. 

 

A vida corre muito rápido nesta narrativa curta e veloz. Vai na velocidade da moto de Caio, que precisa da urgência para sustentar a si, a moto e comprar presentes para Laís. 
 

A vida dos dois vai se misturar e, em algum momento, se desmisturar. Como acontece em qualquer vida, na ficção ou nas histórias de gente de carne e osso.

 

Laís e Caio esperam por você, dentro do livro. Basta chamar o elevador e encontrá-los no décimo oitavo andar.

 

Resenha

As duas são obras de escritores maranhenses. Ambas tem como personagem principal um lugar, que igualmente consta como título do livro.

 

Lançada em 2017, O 18º Andar é a primeira novela do bacabalense Marcos Fábio, sua tentativa pioneira de escrever uma narrativa mais longa do que os contos que o autor faz há duas décadas.

 

Em comum com seu conterrâneo Aluísio Azevedo, pai do Naturalismo no Brasil, aquele tem também uma escrita crua. Não exatamente como o estilo naturalista do romance O Cortiço, lançado originalmente em 1890, mas uma narrativa sem rodeios, muito comum em contistas, algo que Marcos Fábio não deixou de ser, mesmo em sua novela, narrativa que fica ali entre o conto e o romance. Aliás, uma das definições de novela é a de que se trata de um conto longo. Simples, né?

 

O 18º Andar já nos ganha nas notas explicativas. Nelas, lemos uma história tão interessante quanto a que nos espera ao longo do livro em si: a novela foi concebida como presente de aniversário de 18 anos da filha do autor. E, por isso, o título, o número de capítulos e o enredo, em que tudo gira em torno de um apartamento no 18º andar de um edifício.

 

Assim como o jovem motoboy Caio, o leitor é levado a se apaixonar logo nas primeiras páginas por Laís. E como não poderia ser? Uma jovem empoderada, com personalidade forte, que fala palavrão, gosta de homens feios e faz sexo em casa com o namorado!

 

É uma história dos encontros e desencontros dos dois jovens, uma narrativa bem conduzida, com direito a plot twist, ou ponto de virada, como você preferir.

 

Tentando ser breve, tal qual o novelista-contista Marcos Fábio, fico por aqui, com a ressalva de que O 18º Andar deve ser lido sem pressa. E, ainda assim, ao final, você provavelmente terá aquela sensação de: “Ué, já acabou?”

 

Biografia do autor

Marcos Fábio é professor do curso de Comunicação/Jornalismo da UFMA/Imperatriz e autor de 22 obras acadêmicas e literárias. Estreante no gênero novela, com O 18º Andar, é membro das academias de Letras de Bacabal e Imperatriz, onde mora atualmente.

 

Link do livro

http://editoracatarse.com.br/site/2017/07/05/o-18o-andar

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque
1/10
Please reload

Categorias
Arquivo